Início > Pet veterinaria atua em abrigos para animais na regiao metropolitana
Data de Publicação 04/07/2024 - 18:04 Atualizado em 04/07/2024 - 19:02 252 visualizações

PET Veterinária atua em abrigos para animais na região metropolitana

Por Sofia Viero Sorgetzt

Em meio à crise climática que assolou o Rio Grande do Sul, membros do Programa de Educação Tutorial (PET) Veterinária do Campus Uruguaiana da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) realizaram atividades voluntárias em abrigos emergenciais para animais na região metropolitana de Porto Alegre entre os dias 23 e 31 de maio. Esses espaços foram criados a partir das enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul no mesmo mês. 

Dentro do Projeto de extensão 4 Patas, desenvolvido desde 2014, o PET Veterinária exerce atividades junto à comunidade promovendo a conscientização sobre guarda responsável, bem estar animal e saúde única, sendo uma das grandes motivações do projeto, ao longo desses anos, a promoção e o incentivo de campanhas de adoção, dando uma nova chance a animais errantes, de abrigos e ONGs e também aqueles que se encontram em lares temporários. 

Seguindo essa motivação, os integrantes do PET Veterinária da Unipampa iniciaram suas atividades no abrigo Pata Molhada, em Canoas, atuando no setor de tratamentos dos pacientes sob cuidados veterinários. Integraram o grupo as petianas Carolina Moura, Joanna Lencina, Ingrid Bete e Tatiana Klafke acompanhadas por Daniela dos Santos Brum, tutora do PET Veterinária e docente do curso de Medicina Veterinária e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal da Unipampa. 

O abrigo Pata Molhada teve seu início improvisado em um pavilhão destelhado às margens da BR-116, próximo ao viaduto que dá acesso ao bairro Mathias Velho, um dos mais populosos do município de Canoas, e também um dos mais atingidos pela enchente devido ao rompimento abrupto de um dique do Rio dos Sinos. O abrigo surgiu do esforço de voluntários no resgate de animais das áreas alagadas, mantendo-se até agora pelo voluntariado e por doações. 

Funcionando de maneira eficiente nos primeiros dias, o abrigo passou a sofrer dificuldades com o retorno das chuvas devido à superlotação. Diante da necessidade de uma estrutura mais adequada e que pudesse receber mais animais, o abrigo migrou para outro pavilhão na Avenida Liberdade, 1315, também em Canoas. Com a mudança do local, foi possível abrigar cerca de 3 mil cães, tendo auxílio do grupo PET Veterinária na transferência dos animais. 

No abrigo Pata Molhada, o grupo PET Veterinária exerceu durante 3 dias atividades como o auxílio no tratamento de animais enfermos, atuando também no setor de isolamento dos animais com doenças infectocontagiosas, como parvovirose e cinomose, orientados pelo médico veterinário Marco Torres em todas as atividades realizadas. O grupo PET Veterinária também participou da força tarefa para vermifugação dos animais, além de passeios e limpeza das baias. 

No quarto dia de atividade, os integrantes do PET Veterinária conheceram o Hospital Veterinário da Universidade Feevale, em Campo Bom, onde foram recebidos pelo professor Gabriel Ribas Pereira. A instituição também estava recebendo animais resgatados, de pequeno e grande porte. Neste mesmo dia o grupo voltou a Canoas, para conhecer o primeiro abrigo criado na cidade para receber animais atingidos pelas enchentes, em um terreno próximo à Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), no bairro São José, onde também encontra-se o Hospital Veterinário de Campanha, montado por uma iniciativa da administração municipal da cidade de São Paulo, com capacidade de realizar 700 atendimentos semanais, em torno de 8 procedimentos cirúrgicos diários e funcionando 24 horas por dia na força tarefa para atender os animais debilitados pelos eventos climáticos, possibilitando assim na minimizar a superlotação dos hospitais veterinários da região. 

Em Porto Alegre, o grupo PET Veterinária da Unipampa visitou o Hospital de Clínicas Veterinárias (HCV) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde foi recebido pelo seu vice-coordenador Marcelo Alievi  e pôde conhecer o trabalho que a Faculdade de Medicina Veterinária da UFRGS desenvolve com os animais resgatados das enchentes. A UFRGS abrigou pessoas e animais atingidos pela catástrofe em uma estrutura montada na Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID), e também fez uma parceria com o abrigo Resgatados Centro Vida. Casos de animais enfermos e em estado crítico estão sendo encaminhados ao HCV e atendidos pela equipe da rotina clínica e cirúrgica do hospital. Os membros do PET Veterinária também conheceram o trabalho realizado pelo Preservas UFRGS, projeto da universidade destinado ao tratamento clínico, cirúrgico e também de reabilitação de animais silvestres, além de toda a estrutura clínica cirúrgica do HCV. 

No último dia de ações na região metropolitana, o grupo do Campus Uruguaiana foi recebido pela médica veterinária egressa do curso e também do PET Veterinária da Unipampa, Amanda Lopez, no Hospital Veterinário da Ulbra, cujo abrigo recebeu um grande contingente de desabrigados das enchentes desde os primeiros dias em que os bairros de Canoas foram atingidos pelas águas. Durante a visita, o grupo PET Veterinária ouviu o relato do médico veterinário residente Vinícius Ávila. O hospital veterinário da Ulbra também acolheu animais de grande porte, como equinos e pequenos ruminantes. 

Os esforços dos voluntários seguem nos abrigos mencionados, onde continuam sendo requisitados, devido à grande quantidade de animais que ainda necessitam de abrigo, atendimento veterinário, atenção, passeio e carinho. 

O grupo PET Veterinária agradece o apoio da Unipampa, da direção do campus Uruguaiana, da Reitoria e do Biotech Unipampa, bem como de todos os voluntários e profissionais que acolheram e contribuíram com o grupo nesses dias de aprendizado.

Com informações de Fábio Gallas Leivas.

    • Grupo de pessoas posam em pé para foto ao ar livre.
      Integrantes do PET Veterinária da Unipampa em ação em abrigos para animais na região metropolitana
    • Foto de abrigo de animais resgatados.
      Abrigo de animais resgatados.
    • Foto de abrigo de animais resgatados.
      Abrigo de animais resgatados.
    • Grupo de pessoas posam em pé para foto ao ar livre em que aparecem de corpo inteiro.
      Integrantes do PET Veterinária da Unipampa em ação em abrigos para animais na região metropolitana.
    • Duas profissionais posam para a foto com um cachorro em pé entre elas.
      Integrantes do PET Veterinária da Unipampa em ação em abrigos para animais na região metropolitana.
    • Profissionais atuando em sala de cirurgia.
      Integrantes do PET Veterinária da Unipampa em ação em abrigos para animais na região metropolitana.
    • Grupo de pessoas em frente ao Hospital Universitário da Feevale.
      Integrantes do PET Veterinária da Unipampa em ação em abrigos para animais na região metropolitana.