Início > Projeto de clubes sociais negros da unipampa busca ampliar suas atividades e acoes de pesquisa
Data de Publicação 27/06/2022 - 09:39 Atualizado em 27/06/2022 - 17:04 287 visualizações

Projeto de Clubes Sociais Negros da Unipampa busca ampliar suas atividades e ações de pesquisa

Projeto foi contemplado com investimento da Secretaria de Cultura do RS e aguarda assinatura do contrato para receber os recursos
Por Micael dos Santos Olegário

O Projeto de Pesquisa Clubes Sociais Negros do Brasil / Uruguai: mapeamento, memória, patrimonialização e educação para as relações étnico-raciais da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Campus Jaguarão, foi contemplado em edital da Secretaria de Cultura do Governo do Estado. A iniciativa é coordenada pela professora da Unipampa, Giane Vargas, e faz parte do Projeto de Pesquisa sobre Clubes Sociais Negros, que tem como foco resgatar a memória e as formas de organização de espaços de liberdade e resistência de homens e mulheres negros no Brasil e no Uruguai. De acordo com a coordenadora financeira do projeto, Virgínia Borges, o valor do recurso a ser recebido é de R$131.704,50 e será investido na manutenção das atividades do Clube 24 de Agosto de Jaguarão e no aprimoramento do site Clubes Sociais Negros, criado com verba oriunda de edital anterior da Secretaria de Cultura do Rio Grande do Sul. O projeto também conta com a participação do Produtor Cultural, Renato Vieira, como coordenador executivo.

O Clube 24 de Agosto de Jaguarão possui mais de cem anos de existência, e é considerado patrimônio do Estado. O local serve como base para o projeto que busca preservar a história e cultura dos Clubes Sociais Negros nos acervos de museus e também por meio de publicações acadêmicas e documentários. Segundo Giane Vargas, a Universidade, estudantes e docentes, ao trabalhar em conjunto com movimentos sociais, têm potencial para atingir grandes resultados, com impactos significativos na vida das comunidades locais. “Esse projeto ter ficado em primeiro lugar em todo o estado do Rio Grande do Sul tem a ver com a excelência da Universidade Federal do Pampa, onde nós estamos, como docentes, discentes em parceria com as organizações dos movimentos negros, como o Clube 24 de Agosto”, ressalta a professora.

Vargas destaca que esse resultado é fruto de um trabalho de mais de 22 anos de pesquisa, e que inclui pesquisadores de diversas regiões do Brasil e do Uruguai. Ela comenta sobre a importância do investimento para o mapeamento e inserção de outros Clubes Sociais Negros no site, através de pesquisas realizadas por bolsistas. “Um projeto como esse vai desenvolver, nesta comunidade em especial, a autoestima e o sentimento de pertencimento a uma organização que tem um valor, que está sendo reconhecido. E o reconhecimento vem através de recursos humanos e financeiros”. A professora também menciona o engajamento do Clube na promoção de refeições para as pessoas durante o período da pandemia, como um exemplo da busca pelo estímulo à solidariedade através da mobilização social e com o apoio da Unipampa.

Segundo Virginia Borges, a liberação dos recursos para utilização pelo Clube e Projeto ainda depende dos últimos detalhes do acordo com a Secretaria de Cultura do Rio Grande do Sul (Sedac). A expectativa é que nas próximas semanas o contrato seja firmado e os recursos recebidos.

Clube Harmonia de Caçapava do Sul também é contemplado com recursos do governo do Estado

O Clube Social Harmonia de Caçapava do Sul também foi contemplado no edital da Secretaria de Cultura do Governo do Rio Grande do Sul com R$49.960,00, destinados para ações de preservação das memórias do clube. O projeto é coordenado pela discente do curso de Geografia da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Catia Cilene Morais Dutra, e conta com a parceria do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neabi) da Universidade. Os recursos já estão sendo recebidos e devem ser voltados para as atividades e oficinas do clube, organização do acervo e de uma galeria dos ex-presidentes e criação de um site. Além disso, a coordenação pretende publicar um livro sobre a história do Clube Harmonia e sua relação com a comunidade local.

Cátia Cilene Dutra, que também é responsável pela Coordenadoria Municipal de Promoção de Igualdade Racial (Compir) de Caçapava do Sul, destaca a importância do apoio entre o projeto do Clube Harmonia e o Projeto de Pesquisa dos Clubes Sociais Negros. “O conhecimento aumenta nossa capacidade de influenciar e ocupar os espaços. Eu vejo a Universidade com esse nível de importância na vida dos Clubes Sociais Negros”, comenta Cátia Dutra. Segundo ela, a ideia é organizar eventos e estreitar os laços de parceria com o Neabi e a Unipampa para ampliar o projeto e o desenvolvimento dos Clubes Sociais Negros, estimulando seu papel social, cultural e histórico nas comunidades locais.