Início > Unipampa capacita mais de 4200 profissionais da educacao basica em 2020
Data de Publicação 11/03/2021 - 17:02 Atualizado em 11/03/2021 - 17:03 817 visualizações

Unipampa capacita mais de 4.200 profissionais da Educação Básica em 2020

As ações contemplaram inscritos de mais de 120 municípios do RS e 20 estados brasileiros
Por Franceli Couto Jorge

Com o compromisso social pela valorização da profissão docente, a Universidade Federal do Pampa (Unipampa) oferta, além dos cursos de licenciatura e pós-graduação, atividades de extensão para contribuir com a formação inicial e continuada dos profissionais da educação básica. Em 2020, a Instituição recebeu 4.259 inscritos de mais de 120 municípios do Rio Grande do Sul e de 20 estados brasileiros para 58 atividades das diferentes áreas do conhecimento totalmente gratuitas.

Divididas em seis blocos, as ações, que ocorreram entre a segunda quinzena de abril e o mês de dezembro de 2020, contaram com cursos, minicursos, oficinas e ciclo de webinários, todas ofertadas na modalidade a distância, devido à pandemia de Covid-19. No total, foram ofertadas 5.053 vagas. Além das atividades específicas de formação, há outras ações que ocorrem de forma contínua como as videoaulas de espanhol pelo YouTube, as discussões do Grupo de Estudos Feministas e o Jornal Universitário do Pampa (Junipampa).

Conforme a Comissão Institucional de Formação dos Profissionais da Educação Básica (Cifor), a maioria dos inscritos corresponde aos profissionais (professores, coordenadores pedagógicos, diretores e outros profissionais da escola) da rede municipal, seguidos pelos profissionais da rede estadual e dos estudantes de graduação e pós-graduação da Unipampa. As ações também contaram com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação de outras instituições, profissionais da rede privada de ensino e da comunidade externa.

 

2020: Um ano de desafios para a Educação

A pandemia do coronavírus trouxe importantes desafios para a educação. Com a suspensão das atividades presenciais, os docentes, especialmente os da Educação Básica, precisaram retomar as aulas por meio do ensino remoto, algo inédito na história da educação brasileira. Em meio ao novo cenário, o suporte pedagógico e a capacitação de muitos desses profissionais foi fundamental para o andamento das atividades. Nesse contexto de isolamento social e de trabalho remoto, a Unipampa, a partir das necessidades e da urgência observadas, traçou caminhos para o fortalecimento das licenciaturas e qualificação dos profissionais da Educação Básica por meio da articulação universidade-escola.

A Comissão Institucional de Formação dos Profissionais da Educação Básica (Cifor) fomentou e mobilizou os cursos de licenciatura da Unipampa a submeterem propostas de ações para os profissionais da Educação Básica, trabalho articulado com a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) e Pró-Reitoria de Extensão (Proext).

O resultado da ação garantiu a capacitação de 4.259 profissionais. Veja, a seguir, os depoimentos de alguns cursistas:

 

Essa formação mudou meu olhar para a realidade da população negra de meu município. E percebo em sala de aula as marcas da marginalização e do preconceito racial que meus alunos sofrem diariamente por serem pobres, negros [...] e moradores de periferia”.

Professora da rede municipal de Rosário do Sul/RS. Participante do curso Sons da resistência: uma introdução às relações entre músicas e afrodiásporas.

 

“Os aspectos que chamaram minha atenção no minicurso foram a utilização da escrita e da música como ferramenta de memorização e compreensão das diferentes áreas do conhecimento, proporcionando aulas lúdicas e prazerosas para os alunos. As estratégias utilizadas nas aulas foram ótimas, despertando curiosidade e explorando outros meios de comunicação na área das diversas linguagens. [...] Os elementos que levarei para as minhas turmas de 5º ano são músicas, rimas e adivinhas que despertam o gosto pela leitura e interpretação”.

Professora dos anos iniciais - Participante do minicurso Contos para Cantar.

 

“O minicurso foi engrandecedor, pois apresentou um conteúdo bem desenvolvido e de fácil entendimento até para pessoas com poucos conhecimentos sobre o assunto. Os tópicos abordados levaram a um caminho natural até a estequiometria, onde foram mostradas diferentes reações, e tanto nos exemplos quanto nos exercícios apresentados, foi possível relacioná-las com situações da nossa rotina diária”.

Participante do minicurso Aspectos Quantitativos das Transformações Químicas.

 

 

Com informações de Aline Souza da Luz