Início > Unipampa participa de assinatura simbolica de carta de intencoes do geoparque cacapava unesco
Data de Publicação 26/06/2020 - 23:02 Atualizado em 26/06/2020 - 23:25 239 visualizações

Unipampa participa de assinatura simbólica de Carta de Intenções do Geoparque Caçapava à Unesco

Por Sofia Viero Sorgetzt

Foi realizada na quarta-feira, 24, a assinatura simbólica, via webconferência, da Carta de Intenções do Geoparque Caçapava, apresentando candidatura à certificação no âmbito do Programa de Geoparques Mundiais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O Geoparque Caçapava abrange uma área territorial que coincide com os limites do município de Caçapava do Sul, reconhecido como Capital Gaúcha da Geodiversidade pela Lei Estadual 14.708/2015. O reconhecimento tem origem no fato de Caçapava do Sul ser um centro de estudos de áreas como a geologia, geomorfologia, geografia e ecologia. As características da natureza abiótica do município constituem objeto de ensino e pesquisa para muitas universidades e grupos de pesquisa brasileiros. Além das formas de relevo de destacada beleza e dos geossítios de importância internacional, a mineração de materiais sulfetados como cobre, chumbo, zinco, prata e ouro, até a década de 1990, e produtos calcários foram e continuam sendo muito importantes para a economia da região.

A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) é uma das quatro instituições que alicerçam o projeto do Geoparque Caçapava. O campus Caçapava do Sul da Unipampa desenvolve pesquisas geológicas e geofísicas, bem como projetos de extensão voltados às temáticas dos resíduos urbanos, da qualidade da água, e da educação para as ciências. Além da Unipampa, constituem a base do projeto Geoparque Caçapava a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), a Prefeitura Municipal de Caçapava do Sul e a Associação para o Desenvolvimento do Geoturismo em Caçapava do Sul (Ageotur). 

O Projeto Caçapava Geoparque foi oficialmente estabelecido em 2018, após um período de conscientização da comunidade iniciado em 2013. O crescimento do projeto teve base, sobretudo, no diálogo com a comunidade, possibilitado pela realização de audiências públicas e substancial atividade nas redes sociais. De acordo com o professor Felipe Guadagnin, coordenador do Projeto Geoparque Caçapava na Unipampa, a apresentação da Carta de Intenções à Unesco eleva o até então Geoparque Projeto à categoria de Geoparque Aspirante. Sob a nova classificação, pode ser submetido um dossiê para candidatar o Geoparque Caçapava à classe de Geoparque Mundial da Unesco. O reitor da Unipampa, Roberlaine Ribeiro Jorge, afirmou que todos os dez campi da Instituição podem contribuir com o Geoparque Caçapava, devido à dimensão do projeto ensejar um envolvimento multidisciplinar e a Unipampa oferecer uma multiplicidade de possibilidades. O assunto foi enfatizado por Guadagnin, que ressaltou que iniciativas de quaisquer áreas do conhecimento são bem-vindas, mencionando a visibilidade internacional que a chancela da Unesco pode dar aos projetos vinculados ao Geoparque. Guadagnin lembra que, por ser uma das instituições que ancoram o Projeto Geoparque Caçapava, a Unipampa passa a compor o Comitê Gestor do Geoparque, tornando mais acessível à comunidade universitária a proposição de projetos de ensino, pesquisa e extensão. 

Ainda de acordo com Guadagnin, a nova classificação do Geoparque Caçapava oferece diversas perspectivas. No cenário local, há uma ampliação das condições de oferta de atividades como turismo, artesanato e gastronomia, que, ao movimentar a economia local, impulsionam o desenvolvimento econômico que impacta a comunidade. Guadagnin reforça que o reconhecimento da Unesco proporciona uma visibilidade em nível mundial que pode se converter em uma maior procura para o chamado geoturismo: o turismo de conhecimento da Terra, seus processos formadores e de suas paisagens. O geoturismo também pode estar ligado a outras atividades, como o turismo de aventura e o turismo cultural. Outro ponto mencionado por Guadagnin é a contribuição do reconhecimento do Geoparque à educação básica de Caçapava do Sul com iniciativas que visem a melhorar os índices de educação da população do município.

Durante a webconferência do dia 24, o reitor da Unipampa, Roberlaine Ribeiro Jorge afirmou que o novo patamar alcançado pelo Geoparque Caçapava é um momento histórico para o município e para todas as instituições envolvidas. Segundo Jorge, tem tudo para dar certo quando há sinergia em prol de uma causa. Jorge ainda adiantou o lançamento de um edital de apoio ao projeto do Geoparque Caçapava até o fim do ano. De acordo com informação do professor Felipe Guadagnin, a Carta de Intenções com a candidatura do Geoparque Caçapava à certificação já foi recebida no Palácio do Itamaraty e enviada à Unesco, em Paris.

    • Primeira página da carta de intenções apresentada à Unesco.
      Primeira página da carta de intenções apresentada à Unesco.
    • Segunda página da carta de intenções apresentada à Unesco.
      Segunda página da carta de intenções apresentada à Unesco.
    • Terceira página da carta de intenções apresentada à Unesco.
      Terceira página da carta de intenções apresentada à Unesco.
    • Grupo de pessoas diante de uma grande formação rochosa praticando geoturismo em Caçapava do Sul.
      Geoturismo em Caçapava do Sul. Foto: Vincent Solar.
    • Pedra do Segredo, grande formação rochosa vista de cima.
      Pedra do Segredo. Foto: Felipe Guadagnin
    • Panorama de três grandes rochas no horizonte acima de uma estrada de terra.
      Geossítio de Caçapava do Sul. Foto: Natália Huber