Início > Unipampa celebra 15 anos com entrega de titulo de doutor honoris causa oliveira silveira
Data de Publicação 11/01/2023 - 16:03 Atualizado em 11/01/2023 - 16:25 323 visualizações

Unipampa celebra 15 anos com entrega de título de Doutor Honoris Causa a Oliveira Silveira

Cerimônia contou com a presença da filha do poeta, Naiara Silveira
Por Micael dos Santos Olegário

A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) celebra nesta quarta-feira, 11, o aniversário de 15 anos da sua Lei de Criação, em 11 de janeiro de 2008. A comemoração teve início com uma Assembleia Universitária de entrega do título de Doutor Honoris Causa in memoriam a Oliveira Ferreira da Silveira. A cerimônia concluiu o processo de concessão do título a um dos símbolos da resistência e memória do Povo Negro e intelectual responsável pela idealização do dia 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra.

A proposição do título para o intelectual foi uma iniciativa do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) do Campus São Gabriel, com apoio do Neabi Oliveira Silveira do Campus Bagé e aprovada em novembro de 2021. O evento contou com a presença da biógrafa de Oliveira Silveira e professora da Unipampa, Sátira Pereira Machado, da filha do poeta da consciência negra, Naiara Rodrigues Silveira Lacerda, além do reitor da Unipampa, Roberlaine Ribeiro Jorge, comunidade universitária, sociedade civil e imprensa.

O reitor da Unipampa, Roberlaine Ribeiro Jorge, manifestou-se em nome de toda a comunidade universitária sobre a concessão do título. Ele ressaltou a importância da homenagem em termos de representatividade para a Universidade e sociedade brasileira. “Estamos humildemente reconhecendo uma grande pessoa da sociedade”, frisou o reitor.

Durante a cerimônia, Sátira Machado fez a interpretação de poesias de Oliveira Silveira. A professora enalteceu a importância das pesquisas sobre a vida e obra do poeta afro-gaúcho. “Como a Unipampa, na metade sul do Rio Grande do Sul, (Oliveira Silveira) orgulhava-se de suas raízes e contribuiu com soluções inovadoras para problemas globais”, destacou a biógrafa do autor. 

Representante do Neabi do Campus São Gabriel, Carlos Alberto Xavier Garcia, detalhou o surgimento do projeto de concessão do título a Oliveira Silveira, com o objetivo de destacar o trabalho do autor para o movimento negro no país. “Seus versos são incisivos e apresentam temas, linguagens e pontos de vista marcados pelo pertencimento étnico e pelo propósito de construir um texto afro-brasileiro gaúcho”, afirmou Garcia.

A filha do poeta, Naiara Silveira, agradeceu a todos/as os/as pela homenagem e fez um relato da sua ligação com o pai. “Através de sua história, ele me transmitiu sua maior lição e me deixou sua maior herança, que é seu legado”. Segundo ela, o título é um reconhecimento da luta e protagonismo de Oliveira Silveira.

Sobre Oliveira Silveira*

Oliveira Fereira da Silveira foi um poeta negro brasileiro, nascido em 1941 na área rural de Rosário do Sul, no Rio Grande do Sul. Filho de Felisberto Martins Silveira e de Anair Ferreira da Silveira. Graduado em Letras – Português e Francês com as respectivas Literaturas – pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Oliveira Silveira atuou também como docente de português e literatura e ativista do Movimento Negro. Ele foi o responsável por estudar a data e sugerir a evocação do dia 20 de Novembro, implantada no Brasil pelo Grupo Palmares a contar de 1971, tornando-se Dia Nacional da Consciência Negra em 1978.

Como escritor, publicou até 2005 dez títulos individuais de poesia, entre eles “Pêlo escuro” e “Roteiro dos tantãs”. O autor também fez parte de diversas antologias, coletâneas, artigos e obras coletivas. Entre algumas distinções recebidas por Oliveira Silveira estão a menção honrosa da União Brasileira de Escritores, do Rio de Janeiro, pelo livro “Banzo Saudade Negra” e o Troféu Zumbi, concedido pela Associação Satélite-Prontidão, da comunidade negra de Porto Alegre.

Oliveira Silveira também atuou nos grupos Razão Negra, Tição, Semba Arte Negra, Associação Negra de Cultura e como integrante da Comissão Gaúcha de Folclore. Além disso, foi conselheiro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), no período de 2004 a 2008. Faleceu aos 67 anos, em decorrência de câncer, em 1 de janeiro de 2009, na cidade de Porto Alegre. 

*Com informações do site Oliveira Silveira

 

    • foto colorida de Naiara Silveira e Roberlaine Ribeiro Jorge
      Filha do poeta, Naiara Silveira, recebeu a homenagem em nome do pai - Foto: Franceli Couto/ACS
    • Foto colorida de auditório do Campus Bagé na cerimônia
      Cerimônia foi realizada no Campus Bagé e reuniu a comunidade universitária - Foto: Franceli Couto/ACS
    • foto colorida da professora Sátira Machada
      Professora Sátira Machado pesquisa e estuda a obra de Oliveira Silveira - Foto: Franceli Couto/ACS
    • foto colorida de Naiara Silveira
      Naiara Silveira agradeceu em nome do pai pelo reconhecimento de seu trabalho - Franceli Couto/ACS
    • foto colorida de Carlos Alberto Xavier Garcia
      Carlos Alberto Xavier Garcia foi responsável por propor a concessão do título - Foto: Franceli Couto/ACS